Seguidores

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Desamor -Tauto poema


Dor de desamor desperta desatino
Dói demais, desencadeia demência
Desilude, deturpa destino
Dilacera, desfaz decência

Desalentada, devo dizer,
Devaneios desfeitos, definhamento.
Dependente, dobrada a decrescer
Despida dos dias dourados, desencorajada.

Doce degustação dantes;
Desejo desbragado decaiu
Desdém, desafeto degradante
Desanimada, derrotada, dor demoliu

Declaro diluição d’alma
Degredo destruiu, degenerou
Desengano devorou dama
Desencantada; desistiu... Definhou!

dinapoetisadapaz

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Morte do Amor








 Ainda era suave os primeiros raios do alvor do dia.
Ainda trôpega de sono, meu coração assassino
decididamente informou a notícia de morte...
 -O amor que aqui dentro habitava; morreu!

Morreu, amor unilateral não pode sobreviver!
Vista-se de luto, assuma a viuvez, se queres sofrer,
que sofra! Estou petrificado para o sofrer,
E descompassado para um novo amor receber.

Cansei das chances que te dei... foram muitas!
E hoje a decisão foi minha...  Fim da linha!
Estou pronto para o renascimento.
Acompanhe-me... ignore os obstáculos!

 dinapoetisadapaz

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Músicas em canto Gregoriano



Ave Maria