Seguidores

domingo, 11 de junho de 2017

Palavras de efeito (crônica)


Não faz muito tempo estava eu desolada a mastigar a saudade daquele amor, um amor que eu imaginava ser eterno e de repente tudo acabou. Foi quando encontrei uma amiga, a Maria Helena, estava tão saudosa quanto eu, ela havia perdido seu animalzinho de estimação, estava literalmente abatida e chorava copiosamente.

Ficamos ali a lamentar nossas desilusões e perdas, estávamos em um Shopping expostas às vistas dos olhos passantes e curiosos.
Não sei se desejo de ajudar ou apenas uma intromissão, aproxima-se de nós uma senhora e diz-duas mulheres bonitas com ares de tristeza, o que aconteceu meninas? Sentou-se ao nosso lado, pediu licença e continuou seu diálogo como se fosse uma Psicóloga a tentar redimir nossas dores, citou exemplos tocantes de perdas, tanto no âmbito emocional quanto no material, ouvimos com atenção seus relatos e agradecemos. Ela então pediu desculpas, desejou felicidades e partiu.

Eu e a Maria Helena saímos dali comentando a falação daquela senhora que nos disse -nada nos pertence, nem a nossa pele, o que deixou de ser, na verdade nunca lhe pertenceu, novos eventos virão... sorriam para a vida, cantem, dancem, vivam!!
Fui acometida de uma crise de consciência, um estalido na memória, uma varredura na tristeza e senti-me renascida.

Viver é isso, é aplaudir os ganhos e aceitar de bom grado as inevitáveis perdas, é preciso aprender a viver sem isso ou aquilo, sem a ansiedade do esperar, deixar que o tempo contribua com sua infalível fórmula. O desgaste é como a ferrugem, corrói, corpo alma e coração, apaga o brilho e o sorriso. Fazer de conta não é alienação, é receita pra viver melhor, embora nem sempre devemos ou possamos fazer de conta, mas no quesito tristeza é uma boa opção.

dinapoetisadapaz

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Vamos brincar com a Chica num 20?


Vamos brincar com a Chica num 20?

Mais um sábado, dia de descontrair, com a  Chica instigar nossos neurônios.

http://sementesdiarias.blogspot.com.br/



Minhas frases:

1- Para a ofensa, resposta certa é  mudez



Quem pergunta , quer resposta, portanto pense bem!!


3 Respeite a Natureza, ela tem resposta imediata


Teimosia


Não sou
um exponencial da poesia,
isto eu sei!
Mas conservo a insistência,
de aprimorar a retórica
e me esforço para escrever
versos abundantes...

Não me sinto
uma escrevedora de ideias estreitas,
mas, ainda não nasceu
um poema corpulento, 
aquele que enche os olhos
do leitor, creio...!

Mesmo assim,
sinto-me longe do desengano.
Há um verso teimoso
circulando pelas artérias,
seja bom um ruim,

ele nasce, sim!
Nas madrugadas, como agora;
 um verso invasor se hospeda em meu quarto,
fustiga meu sono, faz algazarra em meus ouvidos,
me tira da cama... Quer ser poesia...
É o chamado da inspiração,
que como o vento passa célere, bafeja,
me embriaga e vai embora.

Minha produção literária
não é farta, essa escassez não
furta meu desejo de escrever...Não!
Sou nuvem esperando
o sopro divino dos bons ventos.
dinpoetisadapaz


quinta-feira, 8 de junho de 2017

Eu como rosa despetalada




Uma saudade emoldurada
como se meu peito fosse redoma.
Penso que a saudade deve ser prima
da rotina, pois desgasta minh'alma,
arranha minhas entranhas
e faz sangrar minhas artérias,
ou será que inveja o amor que
arrebata o meu coração?

O anseio que me consome
É reflexo da sua ausência
É sintonia, latência e fome
Quem me acalma é a poesia

A cada noite morre um desejo,
Outro renasce com a luz da alvorada,
Minha alma por ti enfeitiçada,
Você silencioso como a lua,
Eu como rosa despetalada.




Ela virá com certeza!


Sei que a bonança anda por ai contemplando alguém.
Estou atenta, minha porta está aberta à sua espera,
confio  nas boas notícias.
Já arrumei o banco para ela sentar
e por aqui muito demorar.
Estou convicta e confiante da benfazeja visita 
e dos bons ventos que a  acompanham.
Minha fé é inabalável!

Preciso d’uma varredura nas minhas cercanias.

dinapoetisadapaz

terça-feira, 6 de junho de 2017

BC_RAIO X_ 5_2017 Olhar na família.

Meu RX de hoje, revela:


Perguntas:

A- Hoje como se vê em sua família original?

1-      O chato(a)
      2-      O agregador(a)
       3-      O pacificador(a)
      4-      Paizão/mãezona

R: (3) Pacificadora

Fui criada com pais adotivos, após a morte deles passei a conviver com minha família biológica, convivência que não foi além dos cinco anos, fui morar no Rio e por lá fiquei boa parte da minha vida, retornei às minhas origens passei novamente a conviver com todos. Pelo fato de ter trabalhado 29 anos em Hospitais de grande porte no Rio e outros estados, sou muito solicitada, acreditada e sou a socorrista, então me sinto  inclusa no item (3).

B-  Alguém se destaca ou destacava na sua família original, por quê?

R: Minha irmã  antes de mim, é a mãezona da família devido seu poder aquisitivo mais confortável que ou outros irmãos, dá cobertura à todos.

C-  Uma doce lembrança de toda família reunida.


R: No passado não vivenciei tal momento, hoje nos reunimos nas datas comemorativas: Natal, Ano Novo, Páscoa...

dinapoetisadapaz